terça-feira, 11 de abril de 2017

Sereia

(Foto: Claudio Pereira)

As sereias são seres de mim e em mim...Alimentam minha criatividade e me deslocam da vida real que não quero ter... As sereias são a alma do meu melhor - afã de proteção e esforço das águas em seus comandos - paisagem da eternidade que nunca será minha, mas estou contido nela... Eternidade pássaro marinho - feiticeira!
As sereias me salvam da racionalidade potente dos sabidos...Mergulham-me. Entre Abeokutá e Dinamarca - o sangue Noruega circulando mares da veia...
Transmuta-se brilhante negritude no ponto exato da maravilha. A sereia me é milagre. Acolhimento no frio. Calor baiano. Amor.

A sereia é a filha feminino de Ogunté.
( Foto da sereia dinamarquesa retirada do blog maravilhoso do antropólogo Claudio Luiz Pereira)

Nenhum comentário: