quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Da maré

UMA MARÉ, É UMA AFIRMAÇÃO DE TEMPO,
CADA ONDA É UMA SEGUNDO,E SE FOR TÃO MAIS INTENSO,
CADA GOTA É IMENSIDÃO.
UMA MARÉ, É TÃO SÓ UM LEVE SOPRO DA DEUSA,
E HAJA ÁGUA PRA ESSE MUNDO, HAJA BARCO PRA CRUZAR O GRANDE MAR,
IMENSO MAR...EU FUI VER O MAR,
PEQUENINO QUE EU SOU PERTO D'ÁGUA,
MEU CORAÇÃO VIROU BARCO SOPRADO PRA FORA DA MÁGOA,
NUNCA MAIS FIQUEI SÓ...CARINHO DE MÃE, QUEM TEM,
TEM PRA NÃO SOFRER POR NADA E NINGUÉM,
O CORAÇÃO FICA GRANDE E FORTE PRA CABER O MAR...
ESSA HERANÇA, PRESENÇA DAS CORES DA VIDA,
CERTEZA DO SOM, BÚZIO MEU, RIQUEZA MAIS QUERIDA,
FOI AÍ QUE EU NASCI PARA A LUZ,DÁDIVA DO AMOR,
QUEM LHE TRAZ,NÃO VIVE EM VÃO, JAMAIS,
EU MORO NO MAR,
É PRA LÁ QUE MEU CANTO ME LEVA...

( do grande Eduardo Alves; inspirado compositor, belo intérprete, que aqui homenageia lindamente a Senhora da minha vida).

2 comentários:

Edu Alves disse...

muito honrado por este elogio, meu caro amigo Marlon!
que esssas memórias do mar desaguem sobre o mundo que precisa cada vez mais da inspiração e poesia,
bjos no coração

Carlos Barros disse...

Hoje, eu posso prafrasear Eduardo Alves e dizer:

"Eu moro no céu
É pra lá que meu canto me leva..."

E quem me leva para lá é o vento da Deusa, com os resp8ingos da Rainha, observado pelo Rei. Afinal, no Céu, mora meu maior Pai!