terça-feira, 23 de setembro de 2008

Para Lorena

Querida,

Me ensine a aprender a escrever.
A me organizar, a me vestir, a caminhar nas ruas,
A disfarçar minhas dores, instruir o talento sobre o trabalho,
A cantar uma música de Adriana Calcanhotto sem desafinar,
A rezar de fora pra dentro, a ter bons pensamentos,
A aprender a amar.
Me ensine a ser primavera.
A saber nascer em setembro.
A aumentar minha coragem.
A encontrar a sorte.
Me ensine os lugares do seu amarelo
Para que eu saiba crescer como você.
Me ensine.
Por onde anda a vida agora?
Numa canção na voz do Roberto,
Me perguntando: Como vai você?
Me ensine a ser belo e a ter frescor,
A saber aprender e a errar menos.
Devolve o gosto da chuva aos meus lábios,
Com a experiência mulher da sua existência.
Me ensine a refestejar.
A criar horizontes voando em suas asas,
A trazer o mar no brilho dos meus olhos,
Imitando o brilho dos seus.
Me ensine a não matar a minha criança,
A caminhar com esperança azulzinha,
A ter força para guerrear,
Sem perder o perdão que me habita.
Me ensine a me encontar nessas suas datas natalícias,
A reviver no íntimo da gente: um projeto de felicidade.
Me ensine a saber de você,
Mesmo você não estando,
E que eu pinte o mundo de alegria
Com as tintas da energia que vem de você
Me ensine o seu dendê,
O que nos dá sentido,
O que, de fato, faz viver.
Me ensine a claridade dos trópicos
De quando você nasceu,
E me explique este meu movimento de inspiração
Quando o assunto é LORENA.
Me ensine a preservar o meu mistério
E a gargalhar inteiro
Por este dia em que você floresceu.

2 comentários:

Lorena disse...

Que coisa maravilhosa....e eu é que quero aprender a ser outra, viu? Quero mesmo...

Senti sua falta nas horas distraídas do dia de ontem.

Amo você!

Ari disse...

Bah, guri!!! Demais!