terça-feira, 6 de outubro de 2009

Eu também canto a mim mesmo

A partir de Walt Whitman

Para louvar a insubmissão do pensamento,
Tive filhos, plantei árvores, escrevi livros...
Mereço eu ser um homem infeliz?

Faço indagações sem respostas,
revolvo contradições e falta de sentido,
me envolvo em meandros e meandros de mim mesmo:
De que vale a escuridão para um cego?
Como alguém que nada tem pode dar?
Haverá deleite no silêncio sepulcral do espaço sideral?
Marchamos solenes e inexoráveis para o Fim dos Tempos?
Como fazemos para fecundar o simples no complexo?
Existirá no Paraíso um quarto de hóspedes arrumado para os rebeldes?
Desabrocharão orquídeas amarelas na primavera?

Todas as questões que hoje formulo
dizem tanto,
e tão pouco de mim mesmo:

O que espero eu da vida?
Um destemido gesto de afeto.
Respeito pelos meus cabelos brancos, mesmo quando eu estiver careca.
Uma palavra efetiva de agrado.
Reconhecimento insolente, mas sincero.
Ter o pedaço de chão debaixo de meus pés como meu único reino e domínio.
Ter, se possível, a cabeça nas nuvens, que lá se encontram os ventos do sul e do norte.
Livrar-me daquilo que abomino.
Um dia entender o princípio do Odioso Devastador que nos faz ter inimigos.
Manter a vigilância para que não me alcancem enquanto eu descanso.
Ziguezagear, ao som de um ziriguidum, sem ir a lugar nenhum.

O que farei eu da vida?
Ver despertar o dia de amanhã
após uma boa noite de sono,
ou após profícuo labor noturno na minha modesta artesania.
Labutar contra as perguntas que ainda não me fiz.
Encontrar no diferente aquilo que é igual,
e no igual aquilo que é revelador.
Inventar meu caminho enquanto caminho,
que o mundo mesmo não tem eira nem beira.
Ocupar o lugar certo na hora certa.
Manter todas as coisas sublimes suspensas em equilíbrio.
Louvar a insubmissão do pensamento.
Salvador, 02/10/2009 - Cláudio Luiz Pereira ( antropólogo)

Um comentário:

Michelle disse...

Ei, Mar, que coisa mais linda é essa?! Eu nunca tinha "lido" o nosso mestre, e começar assim, com esse poema tão bonito e revelador, aumenta, reforça o encanto. Como é bom amar!, e eu amo vocês dois. Espero estar junto em breve. Esse poema ta guardado no coração. Muitos beijos e abraços pra vocês dois.