quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Sereia



O que habita e seduz
O que sou e não tenho
O que é linguagem absoluta
E traduz minha existência de pescador.
Meu lado confuso e mulher
Certeza do melhor que trago em mim.
Aqui: água e sal
Meu canto é minha escrita
E minha fala me são esmeraldas
Voz para qualquer explicação.
Mito de navegação
Meu estado Bahia.
Sereia,
Âmago da poesia que vibro
No barulho e no silêncio.
Sereia,
Meu mimo, meu reflexo.
A mão de Iemanjá sobre meu ori.
Ninfa de algumas certezas
Dança da minha alma
Fruto da especial beleza.

2 comentários:

Michelle disse...

Mar, tua escrita é bela, mas que foto espetacular! Se eu tivesse esses seios viveria deles... :)

2BA Consulting disse...

O estilismo é maravilhoso! De quem é esta foto?