sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Para dentro de mim

Clarices
Eu quero ligar lugares que coincidam no vazio. Que façam absoluto silêncio e sejam o caminho da inspiração. Quero dizer sim para mim e seguir desenhando mais sonhos mais verdes mais risos; mudanças encantos sustos leituras sexo e Amor. Preciso me acreditar nisso e rever, sem agonia, as tessituras de vida num deus escritora e daí, escrevinhar acima dos projetos que me guiam e definem. Deixar de falar, só um pouco e por instantes, de mim. Preciso de novos temas e tormentas para não duvidar da paz. Quero o encontro com Maria na minha entrega de Fé. Quero a mãe que não me deixa aplacando o forte medo que sinto nesses dias. Não há nada fora da poesia e a vida se alimenta de fé amor e silêncio...
Escrevo em entrelinhas a junção destes lugares e estampo minha cara de vitória: rio leve espalhando brisa. Quero a fala sentida como se fosse ser acompanhada por piano. Este tempo, mesmo que popular, é musicalmente traduzido por pianos... Beijo as rosas dos lugares - flor não sai de mim.
Ingresso no desmedido buscando prazer. Ocupo-me de imagens profanas e faço ali o que mais quero depois de escrever. Mas não digo.
Para dentro de mim tem o que me salva e me seguem água sal sangue luz força lágrima palavra sêmen álcool azul branco rosa vermelho billie caetano pessoa bethânia beauvoir sax atabaque rendas rosas ar matas e mar; mais profundo: clarice. No centro de mim Iemanjá e Oxalá e no mais de mim a fonte da minha vida: silêncio.

Um comentário:

Michelle disse...

Mar, onde e como anda a idéia de publicar um livro? Ele já está pronto! Você já tem número suficiente de textos de qualidade altíssima para isso... Amo, amo, amo, lustrar a palavra Amor todos os dias e mostrá-la para você!