sábado, 3 de janeiro de 2009

Ouça Maysa



Agora é a vez de relembrar satisfatoriamente, uma das mais importantes vozes surgidas no Brasil do século XX: Maysa. Foram lançados um livro biográfico e um cd que celebram a existência da cantora mais chorosa e doída que o cancioneiro brasileiro produziu. A Editora Globo pôs no mercado a biografia escrita por Lira Neto, “Só numa multidão de amores”, que revela a construção artística da memorável Maysa e apresenta em detalhes os dolorosos desencontros de sua vida. O Cd “ Maysa- esta chama não vai passar”, tem produção e distribuição da gravadora Biscoito Fino, traz grandes sucessos da musa sendo interpretados por outras estrelas da MPB.

No livro, o leitor vai conhecer as dores de amor da artista, sua força transgressora, sua paixão avassaladora pela música, e muito mais que a “rainha da fossa”, vai encontrar uma excelente cantora, visceral, que desiste de um mundo aristocrático paulista para viver de música no Brasil da era ditatorial. A mulher dos olhos e da boca na tradução de Manuel Bandeira, senhora de uma tristeza profunda que elaborou pérolas musicais, que amargou dissabores, envolveu-se em escândalos, e acabou por nos deixar precocemente em sua fúria caçadora da nunca encontrada felicidade.
A sua história se mistura ao surgimento do nosso samba canção, e da própria evolução da Bossa Nova, que viu na voz e nas interpretações da artista um mote criador e incentivador para as construções estéticas dos bossanovistas. Sempre associada à fossa e ao álcool, ela trilhou um caminho de inovações, levou a música brasileira para países europeus como França e Espanha, tendo morado alguns anos neste último, e imortalizou internacionalmente a canção “Ne me quitte pas”, do francês Jaques Brel, usada de modo impactante em um filme de Almodóvar, “A lei do desejo”.
Já o disco serve como reverência, como monumento.Canções como “Ouça”, “Meu mundo caiu”, “Franqueza”, “Quando chegares” são cantadas respectivamente, por nomes como Alcione, Ney Matogrosso, Zélia Duncan e Maria Bethânia. Destaque para a interpretação sensível e equilibrada(ufa!) de Cauby `Peixoto em “Ne me quitte pas”. Lindo também, ouvir Zeca Baleiro cantando “Por causa de você”. Participam do tributo outros artistas: Bibi Ferreira, Leila Pinheiro, Cida Moreira (maravilhosa em “Adeus”), Arnaldo Antunes, Beth Carvalho e a grande Alaíde Costa.
Estes dois trabalhos trazem para a nossa época a presença artística de Maysa Matarazzo, nos fazem conservar a memória cultural brasileira, e dignificam a trajetória de alguém que muito contribuiu para a grandeza da nossa música.Uma mulher como tantas outras que sempre se aprontou para o amor e se abandonou na excursão sem volta da sua arte embalada por sua própria melancolia.
Uma cantora que toca eterna na eletrola da emoção dos que amam a música popular deste país.
(Publicado no Opinião do A Tarde em julho de 2007).


Um comentário:

Júlia_Lobo disse...

esses olhos são da cantora, e não da atriz, né?

nossa..incríveis {e parecidos)