terça-feira, 7 de abril de 2009

94 anos : Billie Holiday

Eu também quero um copo, e ouvir em silêncio, olhando uma foto antiga, colorindo de palavras perdidas um papel branco qualquer...Um copo que me tire do chão, me deixe mais aéreo, me faça viajar zonas perdidas, não aponte nenhuma solução. Eu quero aquela voz de invenção em meus ouvidos chorosos e alcançar essa festa da dor que só ela, Billie, sabe dar.
Eu quero imagens de despedidas e chorar sem limite no vão que me deixa passar para dentro da desilusão da vida e viver o instante eterno diante da maior cantora de todos os tempos. Sobre isso de não se saber continuar...Sobre as entregas vãs e infrutíferas...Sobre a falta de remédio do que é crônico na alma...Sobre datas natalícias...Sobre o olhar torpe do humano sobre o humano. Sobre os mitos que foram gente... Sobre a saudade que aniquila...Sobre esta dança que reprime...Sobre o corpo parado que deseja...Sobre a mesa servindo silêncio e sonhos...sobre a falta de vestes...Sobre baldear desertos...Sobre a canção em perversidade... Sobre a cena de um filme com dois homens eroticamente se beijando... Sobre a duração de uma memória... Sobre a foto em uma parede...Sobre sorvetes e coração... E, no absoluto de mim, Billie Holiday cantando.
Hoje são 94 anos da inventora do canto popular no mundo. Reverências!!! O mito vive!

Um comentário:

Luna disse...

E se perpetua nas vozes da Amy Winehouse e da Erika Badu...