quarta-feira, 15 de julho de 2009

O sol que a chuva apagou


Comprei este livro por dois motivos. O primeiro foi o título que me convidou a afetuar a compra. Renatinho Russo naquela canção Giz despejando memórias eternas em mim. Depois, a escritora é Állex Leilla, meu segundo motivo muito importante. A menina é uma seguidora talentosa de Caio Fernando Abreu, e circula entre as grandes revelações que a nova literatura brasileira nos trouxe. Com ela, a gente se sente numa atmosfera meio Caio F. e Ana C., e viaja a lugares especiais em nós mesmos.
Quanto ao livro em questão, gostei muito da história, da leveza da novela gay, como ela mesma diz. Mesmo não lendo nenhuma novidade, é bom ter o final, em livro, como foi o de Thiago e Felipe... O amor entre dois homens exposto de maneira exitosa. A música do Renato, e outras citadas ao longo do texto, pode servir de trilha sonora para a leitura de um livro, que se pretende ( ou eu pretendo?) um filme levinho e bem feito. A gente merece. Deixa o verão pra mais tarde né, Amarante?

Um comentário:

Carlos Barros disse...

Nada, vamos trazer o verão (bem mediterrânico)pra AGORA!!!!!!!!!!!

Quero ler o livro!