sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Maria Bethânia deve ser exaltada


Maria Bethânia deve ser exaltada. Por alinhar em seu canto as possibilidades estéticas do povo brasileiro e por fazer valer como beleza os sons dos tambores, a mágica do berimbau, o requebro negro, feminino e masculino, as saias rodadas das baianas filhas e mães-de-santo; por fazer valer as rezas sábias das senhoras do nosso povo; por azeitar, em consonância com outros mestres, a música popular deste País. Por fazer da poesia deslumbramento em pleno século 21 - o das rodas desérticas geradas pela tecno-educação. Por cantar a paixão sangrando como se estivesse nos anos 40 do século anterior. Por despejar fé e símbolos da lítero-musicalidade em uma nação que precisa exigir mais e se ler melhor.



Deve ser exaltada ainda mais quando chega o verão e me vejo obrigado ao imediatismo do corpo, obrigado a dançar a alegria que desmonta a gente da gente - que nos imbeciliza para que muitos engodos artísticos ganhem muito dinheiro. As fábricas da alegria baiana têm feito festas torpes, exilando a gente da expressão coletiva inteligente.



Maria Bethânia chega sem o discurso vazio das altas culturas. Aliás, ela chega sem discurso e sim, numa prece a Santa Bárbara, num Ilu a Oyá, num cântico a Nossa Senhora e a voz a falar e a cantar a cantar e a falar o que o humano precisa ouvir e aprender para crescer nobremente.



Exaltá-la é despertar a nossa exigência, espraiar a referência que ela imprime em todos que a consome. Para marcar que a cultura pop, sem maiores erudições, pode ter um artista daquela estatura; exaltá-la é apontar caminhos para outros e agradá-la para que ela se estimule a continuar a deixar na gente a vontade de um Brasil maior, com leitores não funcionais, nem ouvintes berrantes, nem consumidores apressados pela facilidade do que vêem ou ouvem.



Deve ser exaltada pelas canções que espalha
Pelos poemas que acende em nossa memória
Pela dilacerante voz e paixão...
Exaltada em seu fogo água
Renascendo tempos vitoriosos...
Exaltada para que tenhamos exemplo
Da mulher conduzindo destinos e,
Nos sendo força e inspiração.

2 comentários:

Diogo Didier disse...

Concordo plenamente! bjoxxxxxxxxxxxxx

ana_barbaraborges disse...

Lindo seu texto sobre Oyá Bethania, parabéns!