terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Cachoeira, Gal e Gilberto Gil: baratos totais (!)

Gal
Huntologi em Cachoeira ( Casa de Luiza de Oyá)

Mestríssimo Gil



Os olhos e o coração voltados para lá: lugar do Rio Paraguaçu, da Festa da Boa Morte, de Gaiaku Luiza, da negrada jeje-nagô deste país... Manhã desejosa da voz de GilGal em Barato Total - a vida ofertando delícias; canto sublime de uma mulher na poesia insigne de um compositor cantor do mundo partindo do Recôncavo baiano. Estou numa confusão que é o puro acerto. Quando a gente está contente nem pensar que está contente a gente quer... A vida é uma senha para o prazer e a gente ouve do sentir felicidade a grandeza misteriosa de respirar inteiro a nossa existência.
Estou nos agudos de Gal sonhando com Cachoeira, uma coisa poema de Damário da Cruz, sendo todos orquestrados por Gilberto Gil. Queria ter o dinheiro de Wall Street e, produzir um show de Gal e Gil em Cachoeira; tirar Gal do casulo e fazê-la inebriar a Bahia com um repertório anos 70 e 2010... Gil cantando e acompanhando o instrumento humano Gal. Garantia de poesia e os olhos se ofertando à minha paixão por alguém que vem daquele sonho profundo e lindo de cidade. Bom dia Cachoeira, Gal e Gil, amanheci na companhia de vocês.

Um comentário:

Paulo Fernando disse...

Cachoeira é de fato uma cidade fantástica! Simboliza a fonte de nossas raízes mágicas e míticas.

Obrigado pela presença lá no blog! Apareça sempre que quiser.