sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Reverência

Odô Iyá !







A água do mundo é um olho triste por calar
A água do mundo é não lembrar
A dona do mundo faz do alcance o seu
dizer,
Ter água no corpo é merecer.
Molhar é amar após
A mãe mostra o rio na foz
No pranto, eu me curvo à minha mãe.
A água obedece à função mítica do sal
A água da espera é universal
A água, em seu sopro, é o que erige o
Sonhador,
Quando a vida doa o sonho à dor.
Molhar é estender a mão
Minha mãe é minha condição
No parto, abençoo a minha mãe,
E me curvo à minha mãe
Mais do que lhe abençoo.
Tiganá Santana


P.S: Esta canção é, para mim, a primeira obra prima do talentoso Tiganá Santana. Traduz-me conduzindo ao lugar que mais gosto de estar: os centros aquáticos do mundo e da minha alma - de preferência os marítimos.

2 comentários:

Michelle disse...

Ele esteve no show de Virgínia Rodrigues que assisti aqui em SP e cantou essa música! Um belíssimo presente, ele cantando e você colocando a letra aqui.

Michelle disse...

Eu li a letra e escolhi o mesmo verso que você (!!)(para colocar no orkut), sem saber, pois comecei a ler o blog de baixo para cima... "ter água no corpo é merecer". lindo, lindo, lindo...