domingo, 13 de junho de 2010

Fernando Pessoa, o inesquecível


Ele aniversaria hoje. Senhor daquela intensidade que me silencia e quando o leio, desisto de escrever. Não sei se os textos acima são de sua autoria, mas eles nos indicam uma reflexão pessoana, algo que rasga a alma sem exageros verborrágicos e indicam que a vida só na forma da intensidade. Sou devedor de usas palavras, me alimento de seus poemas, recebo todos os desdobramentos da sua genialidade e amo a ideia Lisboa por causa dele. Meu favorito, marítimo e desbravador contemporâneo português e me ensaio no que faço porque me entendo no que vejo - meu destino de menino intenso e leitor - nos escritos de Fernando como em composições populares de Caetano e voz gigante de Bethânia. Escritos no escaninho de mim que espalhei por quem passou ao meu redor; que dediquei a quem mais amei e que até hoje me colorem nesta difícil arte de querer sentir e de querer amar. Parabéns, Fernando. Minha alma está inscrita em sua Pessoa.

2 comentários:

saidel disse...

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.(Fernando Pessoa)
Impressionante a qualidade desse homem, os passos invisíveis que ele trilhou dentro de si, sempre buscando a forma ideal, o verso correto, a linguagem mais eficaz, que conseguisse amenizar o seu caráter, sempre à busca de um continente novo, muito além do que olhos humanos conseguem enxergar. O seu sentido, a sua Rosa-dos-Ventos era o seu imaginário, as suas sensações, os seus semblantes, as suas contradições. Ele girava para todos os lados, ao sabor da brisa ou da ansiedade das tormentas.E aí, a sua poesia florescia, ritmada, translúcida e cheia de pedaçinhos do céu. Fantástico poeta.Divina presença que habitou e continua habitando esse planeta, no que há de mais celestial: nossas almas!

Sylvia Rosa disse...

Te encontrei quando procurava por Fernando Pessoa, e não pude deixar de convidá-lo a visitar meu espaço, quem sabe iniciamos uma amizade por sincronicidade!
Bj Marlon