domingo, 13 de junho de 2010

Maria Bethânia, dizer poesias

Maria( décimo terceiro dia)

Musa que se sagra

Palavra bem dita;
Todos os lugares
Da minha audição.
Sereia dos palcos
Águia dos ares
Raios e Trovão.
Mulher do se aparta
Luminosidade descrita
Na força da canção.
Mulher do se achega
No eco centelha
Da sua voz em
Nossa emoção.

Um comentário:

saidel disse...

Emoção nossa,que em sua voz no eco centelha, e faísca vibrações luminosas e discrepantes do que já está por demais tempo estabelecido como poético e correto perante aos olhares comuns de tantos visionários. Grande heroína de mil faces, de mil colares e de milhões de espadas, todas flamejando o encantamento de sua voz. Afinal, é junho, mês de seu nascimento. Mês de festas de Santos Padroeiros, mês de fogos de artifício, de comidas e bebidas populares.Festas populares, digamos assim, com toda a razão.A gema do olho da festa é a Bethânia,fogo encantado que só dá calor, sem sequer ao menos causar uma queimadura. Uma marca permanente na alma, sim, mas uma queimadura jamais. Salve Bethânia, a "Senhora do Vento Norte" com seu manto de sal e espuma!!!