segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Vanessinha no TCA (Fim de agosto)

Vanessinha da Mata

Todinha de amarelo. Ares de Oxum. Pura beleza. A já estrela Vanessa da Mata lotou o Teatro Castro Alves, em Salvador, por três dias: 27(sessão extra), 28 e 29 de agosto. A entrega do público demonstra a grande popularidade da cantora na Bahia. O show possui acabamento cênico impecável, uma banda excelente, aquele repertório delicioso, a voz bem marcada de Vanessa, ainda que com pequenos erros e desafinações. Na apresentação de Sexta-Feira, dia 28, ela esteve econômica,um tanto quanto buracrática; errando em Eu sou neguinha, pediu desculpas simbólicas ao autor da canção, Caetano Veloso,que não estava na plateia.



Show compacto, ela linda. O repertório inteiro dominado pela assistência de fãs, inclusive eu. Aí o melhor aconteceu: ela cantou A lua e eu, de Cassiano, e eu chorei. Para melhorar, piorando minha emoção, ela cantou Último Romance, de Amarante Los Hermanos, e eu desisti de análises estruturais do que via; me perdi na memória da canção , na voz de Vanessinha, e fui doidamente feliz. Senti saudades dos shows de Maria Bethânia; senti vontade de ver algo alongado me dando profundas sensações, me fazendo esquecer pensamentos e racionalidades, me empurrando para o melhor que há em mim.


Ainda assim, o perfume de Vanessa me foi afirmativo, me inspirou. Valeu.

Um comentário:

bentocasmurro disse...

Meu querido, particularmente não gostei muito deste show. Achei todos os outros melhores. Juro! Compacto demais. "A lua e eu" foi o máximo! "Último Romance" um tanto lamentável, mas respeitei. No mais, ficou com sede de "quero mais". Senti falta de "Veneno", que ela cantou no show de estréia. Mas como você disse, no fundo, "valeu!".