terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Beijo Bandido ( disco e show!)


Para Michelle Cirne
Cansei do que é clandestino mas aceito um beijo bandido... Eu furtando o gosto de felicidade que me anda faltando, muito. Escrevo aqui como pedido e homenageio a minha amiga Mi; faço festa na voz de Ney- adoração dela - que, como Maria Bethânia, ele, Ney, é sempre beleza e melhoramento no palco! Vale demais pagar, ver e ouvir...
Show: Canecão, Rio de Janeiro, dia 08/01/2010, às 21h. Imperdível.
Canção-síntese:
Invento
Vento
Quem vem das esquinas
E ruas vazias
De um céu interior
Alma
De flores quebradas
Cortinas rasgadas
Papéis sem valor
Vento
Que varre os segundos
Prum canto do mundo
Que fundo nao tem
Leva
Um beijo perdido
Um verso bandido
Um sonho refém
Que eu não possa ler, nem desejar
Que eu não possa imaginar
Oh, vento que vem
Pode passar
Inventa fora de mim
Outro lugar
Vento
Que dança nas praças
Que quebra as vidraças
Do interior
Alma
Que arrasta correntes
Que força as batentes
Que zomba da dor
Vento
Que joga na mala
Os móveis da sala
E a sala também
Leva
Um beijo bandido
Um verso perdido
Um sonho refém
Que eu não possa ler, nem desejar
Que eu não possa imaginar
Oh, vento que vem
Pode passar
Inventa fora de mim
Outro lugar
Vitor Ramil

Um comentário:

Michelle disse...

Ai neeego! Você permanece nessa nossa outra - mais uma! - terra abençoada por deus e tão, mas tão bela por natureza? Assistindo Dalva e Herivelto?
Você vai ver o show?! Conte pra gente aqui no blog as suas emoções causadas por esse danadinho do Ney...
Hoje assisti o filme do Lula, tem que ver! Estória extraordinariamente real, estória que virou história... estou gamadíssima nele, essa liderança mundial que se tornou, e que chora sem pudor. Ele é o novo mundo que queremos; e, na virada do ano, meu pedido foi para que o Brasil orgulhosamente eleja uma MULHER presidente. Amo você!